O co-fundador do Yahoo Jerry Yang, 39, assumiu no ano passado a função de executivo-chefe da empresa, mas seu salário anual permaneceu o mesmo: US$ 1 --quantia que ele recebe há anos em razão de a empresa de internet já tê-lo tornado um bilionário.

O Yahoo! revelou na terça-feira (29) as quantias pagas a Yang e outros executivos em um adendo ao seu relatório anual. Yang não recebeu bonificações, valores em ações ou quaisquer outros prêmios além do salário de US$ 1, no ano em que o Yahoo! viu seu faturamento despencar 12% e o valor de suas ações diminuir em 9%.

Os salários não são tão importantes para executivo-chefe do Yahoo! porque ele já fez fortuna durante anos ao vender suas ações na empresa --que ele fundou em 1994 com o colega de classe na Universidade de Stanford David Filo. Yang ainda detém 3,9% da companhia, fatia que vale atualmente US$ 1,5 bilhão.

Ele não é o único do setor de tecnologia que trabalhou pelo salário de US$ 1. Steve Jobs, da Apple, e os fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin, também optam por receber a quantia.

Já considerado o "chefe do Yahoo!", Yang se tornou em junho do ano passado o executivo-chefe da companhia, em meio a uma forte queda no faturamento. Os maus resultados afetaram o valor das ações da empresa, abrindo espaço para a oferta não solicitada da Microsoft, à qual Yang ainda tenta resistir.

Ele substituiu Terry Semel, que ao receber um pacote de compensação no valor de US$ 71,7 milhões em 2006, deixou os acionistas irritados --eles afirmavam que Semel estava sendo remunerado de maneira injusta, enquanto a empresa perdia espaço no mercado de internet.

Disputa

A empresa de Yang vive momentos tensos há quase três meses, depois que a Microsoft propôs comprar o Yahoo! por US$ 31 por ação. O destino da companhia permanece incerto, já que expirou no último fim de semana o ultimato lançado pelo gigante da informática ao grupo de serviços de internet.

A Microsoft ofereceu, em 1º de fevereiro, comprar o Yahoo!, número dois mundial da publicidade on-line, para reforçar sua presença na internet e competir com o Google, líder do setor.

Foram oferecidos US$ 31 por ação, em títulos e em dinheiro, o que representava um prêmio de 62% sobre a cotação da bolsa. Os diretores do Yahoo! rejeitaram a oferta em várias ocasiões, alegando que o preço era muito baixo e passaram as últimas semanas buscando novas alianças com outros sócios.

O Yahoo! iniciou conversas com o portal de Internet AOL (grupo Time Warner), número três da publicidade on-line, ainda sem sucesso. Também tentou uma sociedade com o Google para terceirizar sua publicidade.

Cansado de não obter resposta, o presidente da Microsoft, Steve Ballmer, lançou em 5 de abril um ultimato de três semanas ao Yahoo!. "Inclui-se a possibilidade de ir diretamente aos acionistas", um golpe de força para se apoderar do grupo contra a vontade de seus diretores, "ou até de nos retirarmos", disse o diretor financeiro da Microsoft, Chris Lidell.

Fonte: Folha Online

0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial